A Linguagem na Criança

A Linguagem na Criança

O fundamental nesta fase é o adulto ter a consciência que é o interlocutor da criança e que vai estabelecer a troca entre a criança e o meio, interpretando também aquilo que o bebé manifesta antes de saber falar.

A evolução da linguagem

A construção da linguagem não ocorre pela simples repetição mecânica de palavras mas sim através de uma interacção social entre o bebé e o adulto. As primeiras palavras de uma criança não são repetições desprovidas de sentido pois já expressão intenções e desejos. Salienta-se a necessidade de esta ter prazer em comunicar para impulsionar o seu desenvolvimento contínuo.

Com o tempo, a criança vai apreendendo novas palavras e a combiná-las em frases. As primeiras frases geralmente apresentam uma estrutura “nome-acção” (ex: “Ába dá” – dá água), que se torna cada vez mais gramatical à medida que a criança vai experimentando e sendo corrigida pelo adulto. Durante o desenvolvimento linguístico a criança levanta hipóteses sobre a língua, o que a leva a cometer alguns erros como “eu fazi” ou “eu sabo”. Isto ocorre pois a criança tenta generalizar uma regra de flexão verbal por analogia, mostrando que o desenvolvimento linguístico ultrapassa a simples repetição, pois o adulto não fala desta forma.

O desenvolvimento linguístico está ligado de certa forma ao desenvolvimento motor. Os sons da fala devem ser organizados num sistema complexo que, além de requerer alguma inteligência, requer também habilidades motoras. As primeiras vocalizações do bebé são muito imprecisas. Apresentam uma maneira de falar muito simples, com redução de sílabas e prevalência de sons mais visuais, que vai evoluindo à medida que aprendem novos sons e os incorporam na sua linguagem. Alguns estudos mostram que existe uma ordem lógica para a aprendizagem dos sons que é semelhante para todas as crianças. Geralmente os fonemas /p, b, m/ são os primeiros a serem aprendidos (ex: pai, bola, mãe). Um dos últimos a serem aprendidos é o /r/ de “pára”, assim como os grupos consonânticos com /r, l/ (ex: prato, tractor, flauta, bicicleta). Existe também uma correlação entre a aprendizagem fonética e a aprendizagem da leitura e escrita, por exemplo, segundo o método sintético, o /r/ de “caro” é também um dos últimos fonemas a ser aprendido durante a alfabetização.

No entanto o desenvolvimento da linguagem nem sempre se encontra facilitado, devido a algumas perturbações que podem ocorrer durante o mesmo como as perdas auditivas, a gaguez e as alterações na fala.

Audição

Na etiologia de um Atraso de Desenvolvimento da Linguagem podem estar as perdas auditivas. Mesmo perdas mais leves como aquelas que decorrem de constantes otites, podem prejudicar o desenvolvimento linguístico. Nos dias de hoje, após o nascimento, as crianças são submetidas a um rastreio de audição através do teste das otoemissões acústicas (medição de sons que são produzidos em resposta à estimulação acústica através de uma série de cliques).