Respiração Oral – Porquê corrigir?

Respiração Oral – Porquê corrigir?

A postura labial entreaberta em repouso, juntamente com o afastamento entre os dentes, pode ocasionar a erupção contínua destes (uma vez que não encontram uma força antagonista que lhes faça resistência), assim como uma infraoclusão anterior (espaço vertical entre os dentes quando estão em oclusão) ou qualquer outra variação horizontal e vertical dos maxilares e dentes. Os dentes anteriores superiores desenvolvem-se em labioversão (inclinação dos dentes na direção dos lábios) e o músculo do mento fica hiperfuncionante o que, pela contínua pressão e força faz inclinar os dentes anteriores inferiores na direção da língua e retarda o desenvolvimento da mandíbula.

O respirador oral apresenta uma incompetência labial com uma hipotonia marcada que se reflete igualmente ao nível dos músculos elevadores da mandíbula (masséteres, temporais e pterigóideos mediais), observando-se uma postura de boca aberta em repouso. Simultaneamente com estas alterações, a língua apresenta uma posição baixa para que haja uma facilitação do fluxo de ar pela via oral. Este aspecto leva ao desenvolvimento de um palato atrésico, alto e estreito (ogival) pela falta de contacto do dorso da língua com o mesmo.

Respirador Oral

De forma a facilitar a respiração oral, a cabeça, pescoço e cintura escapular sofrem igualmente algumas adaptações, entre as quais, a anteriorização da cabeça e ombros com consequente encurtamento da zona cervical. Ao nível da face, apresentam um rosto mais comprido e estreito, marcado pelo crescimento ósseo vertical, característico da ocorrência persistente deste padrão respiratório.

Como já foi referido a respiração oral promove modificações na posição de repouso da língua e mandíbula, bem como alterações dentárias. Estes aspectos trazem frequentemente perturbações ao nível da deglutição, mastigação e articulação.

Devido à posição baixa da língua e na maioria dos casos, interdental, o padrão de deglutição altera-se, realizando-se com projeção lingual anterior e/ou lateral contra os dentes ou entre eles, ao invés do ápice lingual se colocar nas papilas incisivas de forma a facilitar a retropropulsão do alimento.