Sucção e Fala estão interligadas?

Sucção e Fala estão interligadas?

A amamentação ao peito é recomendada que ocorra em exclusivo até aos seis meses de idade do bebé. Contudo nem sempre se torna possível por várias razões como alterações do mamilo/mama da mãe, produção insuficiente de leite ou até a vida profissional das mães que as levam a estar ausentes em algumas horas de alimentação dos filhos.  Quando isto acontece, a criança começa desde cedo a usar o biberão que, não havendo alguma atenção relativamente à sua forma e ao uso, pode promover o aparecimento de alterações ao nível do sistema estomatognático no futuro.

A tetina deverá ser ortodôntica de forma a que o seu bico se assemelhe ao mamilo da mãe. Se esta não for adequada pode interferir no desenvolvimento anatómico da boca do bebé, como por exemplo, entortar os dentes e afundar o palato. O seu uso proporciona a elevação da língua, a aproximação dos lábios, estimulando toda a musculatura orofacial de forma adequada propiciando o crescimento mandibular como na amamentação natural.

A- Tetina fisiológica; B- Tetina ortodôntica

A fala é o meio de comunicação mais fácil que temos para interagir com o mundo que nos rodeia. Para que esta ocorra sem perturbações, é necessário uma harmonia muscular e estrutural de todo o nosso sistema estomatognático. Através da movimentação dos articuladores ativos (lábios, língua e palato mole) e com a participação dos articuladores passivos (dentes e palato duro), o ar que saí dos pulmões e que passa pelas pregas vocais que produzem som, é modulado nos vários sons da fala. Por vezes esta modulação é tão complexa e rápida, evidenciando assim a necessidade de um adequado sistema estomatognático a todos os níveis.

Como vimos atrás, o esforço realizado pelo bebé durante a sucção faz com que toda a sua musculatura orofacial seja trabalhada o que lhe confere um bom reconhecimento da cavidade oral. Dado que a sucção é o meio pelo qual o bebé se alimenta nos primeiros meses de vida, a sua realização de forma adequada auxiliará a aquisição adequada da produção dos sons da fala, favorecendo deste modo, a prevenção de perturbações articulatórias.