Tem Síndrome de Down... E agora?

Tem Síndrome de Down… E agora?

Outras características como membros encurtados com mãos e pés pequenos e quadrados, cabeça pequena, prevalência de refluxo gastroesofágico e apneia de sono obstrutiva (por exemplo por queda da língua) fazem igualmente parte do conjunto de sinais da T21.

Relativamente ao tónus destas crianças, apresenta-se hipotónico o que, aliado à pouca força muscular, afecta directamente o seu desenvolvimento motor. Deve-se estimular estas crianças com actividades físicas, evitando as mais violentas sobretudo a nível cervical devido à instabilidade das duas primeiras vértebras cervicais. O facto da boca destas crianças ser pequena e de a língua possuir um tónus baixo, observa-se um efeito de macroglossia (língua grande) que pode interferir na aquisição da fala. Como já referido, devido a estas características, tendem a ter a boca entreaberta (por exemplo pela falta de força muscular) e a língua protruída, colocada entre os dentes ou pousada no lábio inferior, fora da cavidade oral. Em crianças com T21 deve-se ter algum cuidado relativamente à alimentação, pois têm tendência para a obesidade.

Este síndrome afeta as várias áreas do desenvolvimento e, relativamente à parte cognitiva, geralmente observam-se défices cognitivos ligeiros a moderados, embora também se verifique, em algumas crianças, um défice cognitivo grave. Geralmente nos três primeiros anos de vida o desenvolvimento social é aquele que sofre menos perturbações, estando o desenvolvimento linguístico fortemente afetado. As grandes dificuldades de retenção da informação verbal levam também a perturbações ao nível da memória. A esta observação acrescenta-se a evidência de que as crianças com T21 têm dificuldades de concentração em períodos médios e longos.

No meio de todas as incertezas da família, por vezes esta não sabe que rumo tomar e o que pode fazer para estimular o desenvolvimento do seu bebé, de forma a colmatar as falhas originadas pelo síndrome. Deixo então algumas sugestões/dicas que também podem ser aplicadas aos bebés em geral.

Amamentação: Quando começar a amamentar deve manter o bebé o mais direito possível e colocar o bico do peito por cima da língua, evitando que a língua fique junto ao céu da boca e impeça a sucção. Os bebés com T21 geralmente são lentos a mamar, pelo que não deve de apressar o momento de alimentação.

Controle da língua: Para exercitar os músculos da face e da língua deve brincar com o bebé fazendo caretas e barulhos divertidos o que também ajudará no desenvolvimento dos sons e da fala. Tenha especial atenção à limpeza do nariz, que deve de andar sempre desobstruído, de forma a evitar a respiração oral que leva a que o bebé permaneça de boca aberta e com a língua protruída. Pode sempre fazer pequenos jogos em que tenha que lhe empurrar a língua para dentro da boca repetidamente.