Tem Síndrome de Down... E agora?

Tem Síndrome de Down… E agora?

Desenvolver os movimentos: Desde cedo, nas primeiras semanas de vida, encoraje o bebé a mexer-se e a conhecer o que o rodeia. Leve-o a experimentar diversas texturas diferentes como mole/duro ou macio/áspero. Toque no bebé com frequência com massagens, cócegas e mimos e faça jogos com os dedos dos pés e das mãos. Rebole-o de um lado para o outro sobre a cama ou um tapete macio. A variação de sensações leva o sistema nervoso do bebé a desenvolver-se. Coloque guizos ao alcance dos pés para que também possa exercitar as pernas.

Coordenação olho-mão: Tenha objetos apelativos que ele possa ver, sentir e ouvir no campo visual do bebé, quer esteja sentado ou deitado. Assim sentirá a necessidade de tocar-lhes, desenvolvendo assim esta coordenação olho-mão.

Linguagem: A dificuldade na codificação dos conceitos leva a que seja necessário obter informação de algo de várias vias. Apresente algo à criança por imagens/gestos ou os objetos reais. Comunique com ela utilizando o maior número de vias possíveis. Mesmo que a criança apenas comunique com o gesto e recuse falar, com o tempo irá evoluir. O importante é comunicar e sentir a necessidade de o fazer. Estimule também a leitura labial falando próximo da criança e com uma articulação mais lenta e pausada.

Escrita/leitura: Aquando da alfabetização, a aprendizagem da escrita vem ajudar as perturbações linguísticas pois esta vem concretizar, sob forma visual, a abstracção da linguagem. A linguagem passa a ter uma forma e torna-se mais perceptível e mais fácil de aprender. A informação, pelo facto de estar escrita, permanece no tempo e permite que a criança leve o tempo que seja necessário para a assimilar, ao contrario da linguagem oral. Além disso, a prática da leitura ajuda a melhorar a articulação e a fonética. Por estas questões, este período deve ser bem acompanhado por parte dos cuidadores, estimulando e criando momentos para que a criança ponha em prática o que vai aprendendo.

São apenas algumas sugestões que pode ter em conta durante o desenvolvimento do bebé/criança mas, caso tenha dúvidas e questões a colocar,procure o médico de família/pediatra de forma a esclarecê-las, assim como profissionais de áreas mais específicas consoante as suas dúvidas.

Relativamente ao Terapeuta da Fala, este pode ser muito útil no que diz respeito ao desenvolvimento linguístico, bem como ao nível da alimentação (sucção, mastigação e deglutição), assim como ao nível da motricidade oral (melhoramento dos movimentos musculares faciais). O importante é possibilitar um desenvolvimento o mais adequado possível, de forma a ultrapassar os obstáculos que vão surgindo.